domingo, 20 de julho de 2008















AS ROSAS

E assim tudo começa.
As rosas vêm ao mundo, crescem e surgem as rosas.
Rosas que espinham rosas que dilaceram e enlouquecem os corações.
Rosas que definham que se entristecem e até desaparecem
Por um amor que nem bem começa ou que surge, mas não fica.
Rosas que perfumam o universo,

Em meios aos raios de tantos sóis que, assim,
Assim, espalham-se ora fugazmente,

Ora suavemente, no seio de tantos jardins.
São tantas as rosas,
São tantas as vezes que me embriago de rosas,

Que não resisto a uma rosa.
São tantas as rosas...

(José Valdir Pereira)

Um comentário:

O poeta e escritor disse...

Nossa! Onde você estava que eu não te achava...
Por onde você andou que não és o meu amor...
E que desejos são esses que me desmancham em ti...
E como conter a ãnsia de mergulhar em teu corpo...
E o que vou fazer nos próximos anos sem você...
Já sei! Vou te amar assim mesmo...
Por que esperar e enlouquecer!
Vem, deixa que eu te toque...
Deixa que meus lábios dêem partida à minha loucura...
Depois, não importa!(josé valdir pereira)