sábado, 19 de julho de 2008






















À Deriva!

Numa noite fria,
Sem luz e sem companhia,
Tu me deixaste...
Com uma flor na mão,
Muito amor no coração,
Caminhei, percorrendo caminhos da solidão.
E fui indo sem chegar a lugar algum...

O vento, de vez em quando,
Fazia-me sair da dor impiedosa,
Que rasgava minha alma,
Desfazendo meus sonhos.
E fui indo sem chegar a lugar algum...

Em passos lentos,
Andei na escuridão,
Deixada pela ausência da tua mão,
Que um dia me afagou,

E dos teus beijos,
Que um dia me deram vontade de viver.
E fui indo sem chegar a lugar algum...

Sem querer voltar para casa,
E a tristeza tomando conta de mim,
Fiquei vagando nos pensamentos,
Contido nas lembranças de nós dois.

(José Valdir Pereira)