terça-feira, 26 de agosto de 2008





















Loucura? Não, é amor!

Nem imaginei possuir-te tanto assim, descomedidamente...
É sim, esse teu cheiro que me prende
E, também, esse teu corpo quente...

E, como quem quer me enlouquecer de prazer,
Essa tua boca louca e brejeira passeia no meu corpo, ardentemente...

Mesmo que quisesse se pudesse, não pararia...
Para quê, se és meu paraíso?

Que loucura, meu amor!
Loucura?
Nem pense nisso!
É mais que isso.
É amor!

(José Valdir Pereira)

Nenhum comentário: