domingo, 17 de agosto de 2008





















Sempre Presente

Embora distante,
Na calada da noite,
Ou em meio às atribulações do cotidiano,
Tu vives em mim e eu te sinto.
Quer seja na flor que vejo,
No vento que sopra,
No amanhecer,
No entardecer,
Ou nas estrelas desse céu tão teu, te sinto.
E na água cristalina deste riacho de desejos,
Vejo o teu suave e tenro rosto,
Com os teus olhos a me olharem,
Deixando-me enlouquecido,
E a tua boca, teus lábios, tão sensuais,
Porque não os toco, fico em agonia.

(José Valdir Pereira)

2 comentários:

O poeta e escritor disse...

É uma das minhas preferidas...
Sempre presente...
Bela!

bridakaloo disse...

iBelissimo blog, poeta....adorei suas poesias...beijos encantados e poeticos....Bri.,,Escreve em algum outro lugar????