quarta-feira, 5 de novembro de 2008





















...OU NÃO É UMA FLOR?

A saudade suscita longas e demoradas caminhadas...
O que ela não sabe é que não é indebelável...
Aí, peço licença e me desfaço dela!
Mas, daqui a pouco lá vem ela de novo...
E sabe o porquê dessa saudade tanta?
Só sente quem gosta, ama e quer!
Saudade de ti, amor!
Ou é da flor?
Não importa!
É tudo igual!
Ou não és uma flor?

(José Valdir Pereira)

Nenhum comentário: